quinta-feira, 8 de abril de 2010

Semana Santa, santa gulodice!

Tento me controlar, mas não consigo. Sempre que vou começar a digitar algo aqui, me vem algum causo ou hábito baiano pra contar... São as raízes que teimam em me direcionar nos textos e todo resto mais.

Pois sim, baiano se acha na sexta-feira santa, é quando o vatapá pode ser prato oficial, o acompanhamento ideal para o peixinho santo, e porque não seguir com o caruru, torta de bacalhau, e um arrozinho pra rebater? E foi nesse banquete todo que Isaltino se reuniu com toda a parentada. Ah, não contei quem é Isaltino? Ele é aquele cara que gosta de estar no centro da família, soltar uma piadinha, uma não, várias... tomar a sua cervejinha, dá aquelas risadas altas, perturbar o sobrinho mais desavisado, tirar um sarro com a derrota do time do cunhado. E a sexta-feira santa é o palco pra tudo isso.

Apesar do significado do feriado, Isaltino repetiu a dose dos domingos, e na empolgação do feriado fez até além da conta... além de exagerar na cerveja e no vinho, resolveu se fartar daquele comilança à sua frente.

- Minha pretaaaa, ponha um prato pra seu querido aqui vá! Daquele jeito, no capricho. - gritava Isaltino da porta da casa pra esposa que estava no fundo da cozinha, do lado oposto da casa de sua mãe.

- Venha fazer você mesmo que eu estou cuidando da panela aqui e não posso deixar aqui pra fazer seu prato não! - Respondia a mulher sempre prestativa.

E lá foi Isaltino, fez aquele prato que mal se podia ver quem estava na outra ponta da mesa. Antes para a degustação dos quitutes, pegou o molho da moqueca, e querendo dar uma de civilizado para os parentes, encheu meio copo e tomou. O povão todo protestou:

- Você tá doido?! Isso é purgante puro! Dendê e leite de coco!!! Que maluco papá!

-Tudo um rebain de tabaréu! Nunca tomaram caldo em praia que nem eu! Isso aqui é caldo de peixe, bocó! Dá sustança! - Tomou de uma golada só. Comeu até não se aguentar mais e foi embora.

No sábado de Aleluia, tudo tranquilo. Isaltino tinha compromisso numas roças perto de sua cidade, e acompanhou sua chefe na empreitada. Sabe que nesse interiozão de meu Deus, qualquer casa que você visite tem sempre uma mesa posta pra você, e ai da desfeita não comer um cadim. Isaltino com aquele estômago meio vazio não se fez de rogado, saiu de casa sem tomar café e no meio da manhã com aqueles dois sóis na nuca, aceitou uma jarra de caldo de cana e duas fatias de bolo.

Na volta pra casa, o milagre da ressurreição estava para acontecer. O que ele imaginava já está morto dentro dele, começou a dar sinais de vida. Sentiu aquele calafrio nas costas dentro do carro. Fechou o vidro por causa do vento. Cinco segundos depois, abriu o vidro de novo, estava suando que nem porco. De repente o peixe do dia anterior começou a nadar na sua barriga, veio aquele ronco alto, junto com aquele gás mortal acompanhando. Nossa Senhora, Isaltino achou que tinha passado por algum bicho morto na estrada. Começou a acelerar o carro, trancando seu cano de escapamento tanto, que nem um fio de cabelo passava ali. Era arrepio, dor, uma cólica dos diabos.

Foi o tempo de chegar em sua casa, derrubando o tinha pela frente, sentou no trono, e ficou ali como rei chorando pela sua nação. Depois de meia hora gemendo, se esvaindo, e com as forças perdidas, Isaltino deitou-se em seu quarto, morto praticamente, e apagou. No fim da tarde já se sentindo aliviado, ouve um grito da mulher, que quase o mata do coração.

- Isaltinoooooo! Levanta daí agoraaaaaa!!!! Olha que merda você fez!!!!!! - Puxando o pobre pelo braço. Quando ele pôde abrir os olhos viu o resto do seu peixe nadando no caldo de cana, ali mesmo em cima de sua cama. Sei o quanto muita gente deve está lendo esse trecho aqui meio enojado, mas não poderia cortar essa parte, mas foi desse jeitinho... Nessa semana Santa, na qual o milagre do peixe, ou melhor, do caldo de peixe operou em Isaltino, depois dessa acho que ele toma jeito e não toma mais dessas coisas...

3 comentários:

  1. Isaltino... tô aqui tentando descobrir por eliminação, mesmo assim tá difícil,rsrs.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. kkk quem não tem um amigo"Isaltino" ele está sempre em todo canto e lugar
    Beijos

    ResponderExcluir